Treinamento e Desenvolvimento: qual a diferença?

30 de setembro de 2021
por Larissa Florindo

Treinamento e Desenvolvimento são duas palavras que sempre ouvimos juntas. Mas você sabia que há diferenças importantes entre esses dois conceitos?

Ambos são processos de aprendizagem e um não exclui o outro. Segundo Idalberto Chiavenato, professor e consultor administrativo, uma das maiores diferenças entre treinamento e desenvolvimento é do ponto de vista temporal:

“O treinamento é orientado para o presente, focalizando o cargo atual e buscando melhorar aquelas habilidades e competências relacionadas como desempenho imediato do cargo.”

“O desenvolvimento de pessoas focaliza em geral os cargos a serem ocupados futuramente na organização e as novas habilidades e competências que serão requeridas.”

Assim, o treinamento visa resolver algo no aqui e agora. Já o desenvolvimento olha mais longe, preparando para novas habilidades e competências que serão necessárias no longo prazo.

Para dar conta dessas duas necessidades, muitas empresas têm priorizado programas de treinamentos e desenvolvimento contínuos. E o que elas vêm percebendo é que programas contínuos colaboram para o desenvolvimento dos colaboradores, os tornando profissionais – e pessoas – melhores.

Boas práticas de treinamento e desenvolvimento contribuem para um time engajado e produtivo. Afinal, as pessoas se sentirão mais motivadas por sentirem que estão evoluindo e aprendendo no trabalho. Além disso, com mais repertório, elas poderão ser mais criativas e inovadoras, impactando diretamente no lucro da empresa e no futuro do negócio.

E, em tempos de Covid-19, ficou ainda mais evidente a importância das empresas se adaptarem a novos cenários econômicos e sociais. A empresa é um corpo vivo e dinâmico formado pelas pessoas que trabalham na organização, por isso, é fundamental ter equipes capacitadas para enfrentarem as mudanças de cenários. Só assim o negócio poderá se adequar.

Desenvolvimento na prática

O desenvolvimento precisa ser contínuo para ser eficiente. Aplicá-lo de forma isolada tem pouca chance de funcionar. Ninguém realmente se desenvolve se for algo pontual, como uma única palestra ou oficina.

Em vez disso, os métodos que tendem a funcionar melhor são flexíveis, mais curtos e mais frequentes, como você verá abaixo.

Educação continuada

A educação continuada busca sempre atualizar os profissionais dos principais avanços e novidades de suas áreas de atuação. Normalmente, são cursos curtos para reciclar as habilidades necessárias para manter os profissionais relevantes.

Um bom exemplo disso é o médico. Afinal, não basta ele se formar em medicina. a profissão é marcada pela educação continuada para se manter atualizado com tecnologias e novos estudos sobre a saúde. Só assim ele poderá ter certeza de estar usando as melhores práticas e tratamentos para seus pacientes.

Carreira

Da mesma forma que um médico precisa se manter sempre a par do que está mudando na sua área, a carreira também precisa ser pensada como algo em constante evolução. Junto com o plano de carreira, o RH precisa estabelecer como cada profissional poderá ter um crescimento saudável para promoções e responsabilidades maiores. Junto com os líderes, o RH mapeia as principais habilidades e competências necessárias ao longo da carreira. Isso é fundamental para construir um pipeline de talentos efetivo na sua empresa.

O treinamento na prática

Como vimos, os treinamentos são mais curtos e pontuais. Eles têm o objetivo de preparar os funcionários para necessidades mais imediatas. Veja alguns exemplos a seguir.

Onboarding

O onboarding, também conhecido como integração, é oferecido para um candidato que acabou de ser admitido ou quando há promoção. Ele funciona como um período de adaptação para “conhecer melhor o terreno” e adquirir soft ou hard skills necessárias para desempenhar o seu trabalho, como conhecer os processos da empresa e entender as melhores práticas.

Preparo para liderança

Os funcionários que vão se tornar gestores precisam de treinamentos específicos para encararem o novo desafio. Mesmo que o funcionário seja excelente no que faz, a liderança exige habilidades muito diferentes. Por isso, é essencial que o novo líder passe por treinamentos que o preparem para isso.

Métodos de treinamento e desenvolvimento

Para treinamentos e trilha de desenvolvimento mais dinâmicos, existem formatos e tecnologias para atender a todos os orçamentos e resultados desejados. Mas, geralmente, aqueles que exigem reflexão e interação dos funcionários funcionam melhor. 

Afinal, se as pessoas apenas ouvirem uma apresentação ou assistirem a um vídeo, não terão a chance de praticar as habilidades que aprenderam. 

Aqui estão alguns métodos a serem considerados:

Realidade virtual

A experiência no mundo real é excelente, mas a realidade virtual pode ser a segunda melhor opção. Uma pesquisa da PwC de 2020 descobriu que os alunos que realizam algum treinamento de realidade virtual eram 4x mais focados do que os formados por cursos online e se sentiam 275% mais confiantes para agir de acordo com o que aprenderam. 

Algumas empresas oferecem simulações de realidade virtual que refletem cenários do mundo real, como pedir aos funcionários que reajam a uma reclamação de um cliente. São exemplos práticos que trazem um aprendizado mais realista e mão na massa.

Aprendizagem online

Hoje, a oferta de cursos e aulas online é enorme e devemos tirar vantagem disso. Afinal, eles permitem que um número muito grande de pessoas possa ter acesso ao mesmo conteúdo, não importa onde estejam. Para turbinar o aprendizado, dê preferência àqueles que forneçam simulações para que os funcionários possam praticar os conhecimentos que aprenderam. 

Coaching durante o treinamento

Por ser mais caro, o coaching é normalmente usado apenas nos níveis mais altos de liderança. Mas há saídas mais em conta que podem trazer benefícios parecidos, especialmente para desenvolver as competências socioemocionais. Um exemplo são programas de mentoria, que colocam líderes experientes em contato direto com os funcionários, para dar orientações e ajudar a desenvolvê-los.

Workshop interativo

Workshops interativos com instrutor são os métodos mais atraentes e impactantes para ensinar habilidades como inteligência emocional, criatividade e inovação. A dinâmica de um workshop interativo simula o cenário do mundo real e dá aos funcionários a chance de ouvir feedback imediato.

Gamificação

A gamificação consiste em usar elementos dos jogos no treinamento.

Um exemplo é a plataforma Slack, que usa uma abordagem de aprendizagem bastante inovadora com seus funcionários. A empresa criou cenários interativos com base na série de livros infantis Choose Your Own Adventure, pedindo aos funcionários para escolher um personagem, ler a função da pessoa e os deveres do trabalho e então se envolver com um chatbot para realizar tarefas e aprimorar habilidades.

O resultado foi uma aprendizagem que permite que os funcionários falhem ou façam escolhas em um lugar seguro e depois avaliem e reflitam sobre os resultados.

Estimule o aprendizado

É fundamental mostrar aos funcionários a importância de se desenvolverem. Eles devem perceber que há uma linha direta entre melhorar as habilidades e obter reconhecimento e oportunidades. Mesmo que o funcionário não goste de um programa ou outro, com certeza ele irá valorizar o investimento em seu próprio futuro.

Se a sua empresa não tem muito recursos, considere parcerias com universidades e outras organizações. Existem muitos investimentos mais baixos que enriquecem o negócio e o time.

Outra possibilidade é separar 1 ou 2 horas por semana para promover uma oficina dentro da empresa, oferecida por quem tem mais conhecimento sobre uma determinada habilidade.

Medindo o impacto dos seus programas

Assim como em qualquer outra iniciativa, é importante avaliar o impacto que esses programas estão causando de forma individual e na operação. Avalie os funcionários antes e depois de uma sessão de treinamento ou desenvolvimento para acompanhar seu desempenho. O ideal é fazer isso nas marcas de três, seis e nove meses. Peça também a opinião deles sobre os treinamentos e acompanhe os números de pessoas treinadas.

Os indicadores desses programas devem ser comparado com as principais métricas de sua empresa, como conversas sobre avaliação de desempenho e definição de metas.

Feito da maneira certa, as práticas de desenvolvimento e treinamento podem ser um grande benefício. Com funcionários mais motivados e preparados para desempenhar suas funções, os índices de retenção também serão melhores. E a sua empresa, claro, estará sempre preparada para um futuro cada vez mais desafiador.

Uma nova solução para um novo mercado

Acompanhar o avanço das inovações em um cenário incerto é um desafio diário.

Se o mundo não evolui de forma linear, o conhecimento tampouco. É preciso estar sempre desenvolvendo as competências do futuro e ter flexibilidade para mudar de rota quando necessário.

Por isso, criamos três universos de conteúdos e geramos toda a inteligência de dados necessária para o seu RH trabalhar estrategicamente, unindo equilíbrio emocional, trabalho em equipe e adaptação às novas tendências de mercado.

Aprendizagem e desenvolvimento são espaços infinitos e podem ser digitais sem perder a humanização. Conheça a nova D&C, um universo de aprendizagem para estimular e desenvolver as competências que sua equipe precisa.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *