Candidate persona: o que é e como construir uma para a sua empresa

2 de março de 2021
por Evelim Wroblewski

Você sabe o que é uma candidate persona e como ela pode ajudar a otimizar os processos de RH da sua empresa? Neste artigo, você vai entender por que é importante fazer uma, as principais diferenças em relação ao conceito de público-alvo e ainda vai conhecer algumas dicas para sua empresa começar a criar a sua. Vamos lá?

É bastante comum encontrar no mercado casos em que a estratégia de contratação acaba gerando um número altíssimo de inscrições. Embora essa métrica encha os olhos das empresas e represente um enorme interesse pela marca empregadora, ela também significa mais trabalho na hora da análise e uma dificuldade maior em encontrar o perfil ideal de profissional.

Então, como será que os recrutadores internos da sua empresa podem fazer para otimizar esse processo e procurar por candidatos mais alinhados aos valores e missão da organização? Uma das formas de fazer isso é criar candidate personas

O que é candidate persona

Talvez você já tenha escutado falar de buyer persona alguma vez. Muitas empresas criam o termo para se referirem a versões fictícias do que seriam os seus clientes ideais. Uma candidate persona é a mesma coisa. Só que ao invés de usar as informações para orientar as ações de marketing e vendas, você vai criar um perfil para o recrutamento usar como referência na busca pelo candidato ideal.

Nesse sentido, na hora de recrutar candidatos, deve ser criada uma candidate persona diferente para cada posição em aberto na sua organização. 

Além de definir características básicas como idade, profissão, formação, por exemplo, a candidate persona oferece a oportunidade de refinar muito mais a busca. Afinal, ela inclui aspectos mais subjetivos e individuais, como medos, desejos e necessidades pessoais dos candidatos. 

Diferenças entre candidate persona e público-alvo

O público-alvo é um conceito amplo que engloba grupos de pessoas de forma massiva. Nessa técnica, as pessoas são segmentadas por características comuns como demografia, nível socioeconômico, idade etc. 

Na candidate persona, busca-se exatamente o oposto da generalização: ela representa a especificidade que você deseja encontrar em um candidato. Sendo assim, em sua criação, você pode incluir características como as principais competências, traços de personalidade, sentimentos, frustrações e buscas pessoais. 

Por que é importante criar uma candidate persona?

Embora seja uma estratégia muito conectada à contratação de novos colaboradores, os benefícios de criar uma candidate persona vão muito além. Afinal, esse guia ajuda a fomentar a cultura da organização e as necessidades do cargo, impactando positivamente nos resultados obtidos pelos times a partir do ingresso de novos membros.

Os recrutamentos que funcionam a partir da criação de candidate personas podem ter melhores descrições dos postos de trabalho oferecidos. O que ajuda os candidatos a entenderem melhor o que é oferecido e avaliarem se realmente se enquadram no perfil. 

E se sua empresa sabe quem está procurando, fica mais fácil saber onde encontrar, não é mesmo?

Além de tudo isso, a hora de definir uma candidate persona também pode ser útil para preencher lacunas de profissionais diversos na sua organização. Afinal, implementar a diversidade ajuda a trazer pessoas com novas ideias, experiências e, inclusive, personalidades que estão em falta na sua equipe. 

Dicas para construir uma candidate persona para sua empresa

Agora que você já entendeu a importância de criar uma candidate persona e o que isso representa, chegou a hora de falar sobre como sua organização vai fazer isso. 

1. Defina o papel dos futuros colaboradores

Mesmo que você acredite que sabe exatamente o que procurar em um candidato, você já pensou sobre o que a sua equipe precisa na próxima contratação?

Uma vez que você entenda o que precisa, pode começar a definir informações reais que vão representar a candidate persona. Existem várias características que sua equipe pode precisar encontrar em um candidato. 

O perfil ideal deve ser uma combinação de informações demográficas (região em que reside, fase da vida, educação e formação etc) e características pessoais, como:

  • Interesses
  • Aspirações
  • Receios
  • Metas profissionais que os candidatos podem vir a expressar e muito mais. 

Como podem existir várias respostas aceitáveis para cada um destes pontos, você pode segmentar tipos de candidate personas em potencial até finalmente conseguir visualizar o perfil ideal. 

2. Converse com stakeholders

Até aqui, você pesquisou questões objetivas da sua candidate persona. Agora é hora de incluir interesses subjetivos de qualquer pessoa que tenha participação no processo de recrutamento ou que virá a interagir de perto com o contratado. 

A inclusão de outros profissionais relevantes na definição da persona impede que a busca esteja baseada somente de acordo com os critérios de um departamento ou profissional. 

Isso faz com que sua equipe de recrutamento possa manifestar todas as opiniões e expectativas para os candidatos antes que eles entrem para o processo seletivo. 

3. Defina o candidato ideal 

Após todos os trabalhos de pesquisa e levantamento, seu RH já tem informações suficientes para organizar, filtrar e delimitar a candidate persona. 

Você pode começar eliminando todas as qualidades não essenciais esperadas dos candidatos e deixá-las em segundo plano. Você pode voltar a estas informações depois de definir os principais candidatos para filtrar ainda melhor. 

Neste caso, defina entre cinco e dez características esperadas para a função. Quando todos estiverem seguros dos critérios finais e o recrutador entender a busca, organize as orientações da forma que preferir. Isso pode ser feito com um gráfico ou uma lista de texto com as orientações, por exemplo. 

Uma vez que você completou o ciclo de criação da sua candidate persona, é hora de transmitir as orientações para que as peças de divulgação estejam exatamente de acordo com o definido. 

Inclua todo esse trabalho nas suas ações de marketing de recrutamento e publique a descrição do posto de trabalho nas plataformas que achar conveniente. Considere também divulgar nas redes sociais e trabalhar com anúncios pagos. 

Além disso, tenha certeza de que toda a sua equipe esteja devidamente informada sobre a candidate persona. Desse modo, todos saberão o que procurar em suas redes sociais e canais de recrutamento.

Então, agora que você já sabe o que é e como criar candidate personas para sua empresa, que tal aprender a unir employer branding e marketing de atração na sua busca por novos talentos?

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *