Ambiente psicologicamente seguro: como criar um na sua empresa

9 de novembro de 2021
por Recrutamente.com

Se sua empresa está mais preocupada com os resultados, metas e performance dos funcionários do que com oferecer um ambiente psicologicamente seguro, chegou a hora de repensar o clima no seu local de trabalho.

Afinal, promover uma cultura organizacional satisfatória, focada na experiência do funcionário e onde todos se sintam confortáveis, é cada vez mais importante. Inclusive para os resultados de negócio.

Por exemplo, sabia que os transtornos mentais figuram entre uma das principais causas de afastamento do trabalho? Só em 2020, eles foram responsáveis por nada menos do que 30% dos desligamentos de funcionários. 

Além disso, fatores como incertezas sobre o futuro, dificuldades de se relacionar no ambiente profissional e ansiedade foram responsáveis por mais de meio milhão de afastamentos no ano passado. Esses números superam, inclusive, os afastamentos por questões de saúde física.

Assim, a grande questão é: como reverter esse cenário e proporcionar um clima organizacional onde seus colaboradores se sintam à vontade? É nesse sentido que criar um ambiente psicologicamente seguro é tão relevante, uma vez que ajuda a evitar justamente esse tipo de situação. Trata-se de oferecer um ambiente acolhedor para os funcionários, em que eles se sintam à vontade para buscar ajuda e resolver problemas de relacionamento antes que se agravem.

É também um ambiente que gera o sentimento de pertencimento nas pessoas. E este foi, aliás, o tema da última pesquisa Carreira dos Sonhos, feita pela Cia de Talentos. Nesse estudo, vimos que gerar esse sentimento é um dos maiores desafios das empresas hoje, tanto entre jovens e funcionários de média e alta gestão.

Quer saber mais? Continue a leitura!

O que é segurança psicológica no ambiente de trabalho?

Um estudo realizado por dois anos pelo Google em suas equipes de melhor rendimento descobriu que elas apresentavam 5 características fundamentais. E a mais importante delas era a segurança psicológica. 

O conceito de segurança psicológica foi definido pela primeira vez por Amy Edmondson, que trabalha com sociologia organizacional. 

Segundo essa definição, um ambiente psicologicamente seguro é aquele no qual os membros do grupo compartilham a crença de que estão em um lugar onde se sentem seguros para dividir suas opiniões uns com os outros, serem eles mesmos e não terem medo de reações negativas ou de sofrer depreciação. 

De acordo com Amy Edmondson, a segurança psicológica descreve um “clima de confiança interpessoal e de respeito mútuo”. 

Isso vale para qualquer contexto onde um indivíduo esteja inserido – como a família ou entre amigos. Mas, no trabalho, isso significa que os funcionários se sentem emocionalmente confortáveis a ponto de não estarem pensando se dizem o que pensam ou se é melhor guardar suas opiniões para si mesmos, por exemplo.

Em ambientes psicologicamente seguros, os colaboradores não têm medo de assumir riscos e de se sentirem vulneráveis. Ou seja: são lugares onde a confiança nos outros é algo que está presente o tempo todo.

Seu ambiente é psicologicamente seguro?

É importante entender que criar um ambiente onde as pessoas se sintam seguras emocionalmente não é algo que acontece da noite para o dia. 

Antes de qualquer ação, você deve investigar qual é a situação emocional do seu ambiente de trabalho neste momento. Você já parou para analisar qual é a realidade da sua empresa?

Se a sua resposta foi “não”, saiba que atualmente existem consultorias que podem ajudar a realizar um estudo sobre as condições emocionais de seus trabalhadores. 

Por meio de ferramentas específicas, você vai obter um diagnóstico que oriente os passos seguintes para a conquista de um ambiente mentalmente saudável. 

De fato, não existem ‘fórmulas mágicas’. Mas, sim, há algumas práticas que colaboram para a criação de um clima organizacional propício para que todos se sintam o mais confortável possível. 

Tudo se trata de definir essa conquista como um objetivo, ter paciência e sustentar ações a longo prazo neste sentido. Nesse sentido, é fundamental ter um ambiente que acolha diferenças: a diversidade é um valor cada vez mais importante.

Como criar um ambiente psicologicamente seguro?

Como dissemos no começo do artigo, nem tudo se trata de cumprir as metas de desempenho. Isto é, seu papel como líder não termina quando os KPIs foram atingidos. 

Isso significa que, para manter o engajamento dos funcionários, sua empresa tem que ajudar os colaboradores a se sentirem confortáveis e construir uma crença compartilhada de que a equipe pode se sentir segura a assumir riscos. 

Como? Confira os seguintes passos!

#01 Peça aos líderes das equipes que solicitem feedbacks

Da alta gerência até os líderes de equipes, pedir feedbacks dos funcionários em relação à conduta da liderança mostra que a cultura da empresa fomenta a humildade, disposição para reconhecer erros e interesse em opiniões, por mais divergentes que elas sejam.

E antes de pedir feedback dos colaboradores, é importante preparar a empresa para conversas difíceis e para que pratiquem a escuta ativa, que se preocupa em entender uma situação antes de julgá-la ou se defender. Assim, as críticas podem ser absorvidas sem que os gestores e líderes atuem de forma defensiva, o que prejudica a criação de um ambiente psicologicamente seguro. 

#02 Crie regras de comunicação e gestão de conflitos

A confiança só se forma quando a comunicação é fluída. E nada é melhor para testar a qualidade da comunicação do que a gestão de conflitos. 

Diante disso, um ambiente psicologicamente seguro não é aquele onde todo mundo acena afirmativamente com a cabeça e não questiona. Muito pelo contrário. 

A segurança psicológica vem exatamente do empoderamento dos colaboradores sobre suas opiniões, quando eles se sentem confortáveis para serem francos e promoverem o que poderíamos chamar de discordância produtiva. 

Portanto, desenvolva um modelo de comunicação onde todos tenham espaço para manifestarem suas opiniões livremente sem punições.

#03 Construa uma cultura da curiosidade

Culpar os outros por algum erro é sempre mais fácil. Aliás, esse é o típico comportamento de chefes, não de líderes. 

Sempre que sua empresa realize alguma reunião de análise de projetos, tente substituir a culpa pela curiosidade. Isso significa mudar o foco das perguntas: ao invés de querer saber quem não fez o que deveria, aposte na análise mais ampla, neutra.

Ou seja, ao invés de querer saber quem errou, consulte sobre quais seriam as melhores ações para que algo não aconteça novamente. Pergunte o que poderia ter sido feito melhor, ao invés de focar em identificar o responsável por falhas. 

#04 Seja inclusivo na tomada de decisões

Perguntar a opinião de todos mas não considerá-las na hora da decisão não mostra que você realmente se importa. 

Portanto, quando for definir ações futuras, procure fazer isso de forma compartilhada e coletiva. Mais ainda: explique os motivos por trás de sua decisão e como a colaboração de todos ajudou a definir os rumos dos trabalhos. 

Mesmo que as pessoas acabem discordando do que foi decidido, eles vão apreciar a honestidade e transparência por trás de cada deliberação. 

#05 Crie canais de denúncia seguros

Por mais que queiramos preparar nossa empresa para que todos compartilhem dos mesmos valores e conduta ética, é preciso se preparar para o pior. Nesse caso, devemos oferecer aos funcionários canais de denúncia confidenciais e que realmente tenham uma tratativa de cada caso. Assim, quando houver incidentes como assédio moral ou conduta antiética que constrange os funcionários, eles podem recorrer sem se sentir ameaçados ou julgados.

Na mesma linha, é importante ter programas adequados que dêem suporte psicológico aos funcionários e que faça acompanhamento de questões de saúde mental – sobretudo antes que elas virem causas de afastamento. Muitas vezes, o funcionário que sofre de alguma condição se sente isolado e desamparado e pode não buscar ajuda por vergonha ou medo. Por isso, crie canais de ajuda, comunique e fale abertamente e sem tabus sobre esses temas.

Promover um ambiente psicologicamente seguro não trata de mimar seus funcionários, trata-se de deixá-los confortáveis com as divergências. É preciso mostrar o valor de manifestar um discurso sem restrições, é isso que leva a melhores resultados. 

Esperamos que o artigo de hoje tenha aberto seus olhos sobre essa importante questão! No Grupo Cia de Talentos, estamos sempre em busca das melhores formas de fazer com que colaboradores e empresas tenham a melhor relação possível. 

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *